terça-feira, março 26

É inédito

Passei a minha última noite em claro, foi como um vazio instalado entre as quatro paredes que me socorriam com medo. O escuro era enorme, aliás, já há muito tempo que o escuro se torna o rei, o vitorioso daquelas paredes. 
A minha vida tem corrido bem, os meus dias têm sido calmos, mas difíceis ao mesmo tempo. Já se passaram alguns dias e eu já estou com saudades tuas; saudades de te ver. É inexplicável, até porque nem eu sei bem o que é isto. É inédito. As horas passam, os dias correm, e eu continuo sem saber muito bem para onde me virar, por onde ir. Não me perguntes o porquê, nem eu sei. Nem eu sei responder a várias das minhas questões. 
Continuo a ver-te em todas as minhas paredes numa versão duplicada, a nossa música continua a teimar em ser reproduzida na rádio, e eu não sei que faça de mim. Amanhã completo mais um aniversário e receber uma mensagem tua já preenchia o meu dia. Vou deitar-me, talvez hoje seja o dia ideal para conseguir pregar olho.
E sabes que mais... poderei passar milhares de noites em claro, desde que o motivo para tal seja, definitivamente, apenas tu.

1 comentário: