terça-feira, janeiro 7

Incógnitas

A inércia do tempo desgastava-me o corpo. Ouvi a tua respiração abafada no silêncio enublado da noite, que num ápice se instalou em todo o meu lar. Esmagaste-me de beijos e em memórias caímos sem fôlego sobre os lençóis. O teu corpo estava banhado de incógnitas, respiravas as nossas vozes em pedaços de céu escuro, enquanto que eu te decorava em pensamentos. O teu estado cansativo era efémero. Alcoolizaste os meus lábios, congelamos o movimento e ficámos num estado de hipnosia.

8 comentários:

  1. Adorei!
    R: Um bocadinho é favor nada, ele às vezes não merece tanto mérito! :)

    ResponderEliminar
  2. quando tiver mais tempo sim, agora ando cheia de frequências e trabalhos :s

    ResponderEliminar
  3. de perder o fôlego. adoro!

    ResponderEliminar
  4. está sem duvida fantástico!

    ResponderEliminar